Detentos de alta periculosidade são levados para presídios com maior controle; no total, 1.700 presos foram remanejados no Complexo São Luís ~ CN1 | O seu Portal de Notícias

terça-feira, 6 de junho de 2017

Detentos de alta periculosidade são levados para presídios com maior controle; no total, 1.700 presos foram remanejados no Complexo São Luís


Terça-Feira, 06 de junho de 2017


O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) realizou, na manhã de segunda-feira (5), mais um remanejamento de detentos do Complexo Penitenciário São Luís. Desta vez, foram 1.700 internos redistribuídos de quatro unidades prisionais, dentre os quais alguns considerados de maior periculosidade para os estabelecimentos penais que dispõem de Portaria Unificada (PU), e Body Scans (escâneres corporais).

“Nosso objetivo foi promover a redistribuição de um grande número de internos de grupos criminosos distintos, trazendo para dentro das unidades prisionais beneficiadas com todo o aparato tecnológico investido pelo Governo do Estado presos que cometeram crimes mais graves; e levando para a Unidade Prisional de Ressocialização de São Luís 6 (UPSL 6), antigo CDP, aqueles com histórico de crimes mais brandos”, adiantou o titular da Seap, Murilo Andrade de Oliveira.

A operação contou com 360 agentes penitenciários; além de 40 policiais militares do Batalhão de Choque (BP Choque). Dois ônibus, um caminhão, um micro-ônibus, dez vans, e 25 pick-ups, sendo dez do Núcleo de Escolta e Custódia (NEC), foram usados na ação. Agentes da Supervisão de Segurança Interna (SSI), do Grupo Especial de Operações Penitenciárias (Geop) e do próprio núcleo especializado participaram das etapas da operação, que foi deflagrada ainda durante a madrugada.

O remanejamento dos detentos começou pela UPSL 3, da qual foram transferidos todos os 420 presos para a Penitenciária Regional de São Luís (PRSLZ), antigo PSL 3. Os internos foram retirados de cela em cela, dos quatro blocos da unidade e, em grupos de pelo menos 40 presos, foram conduzidos para o novo estabelecimento penal de destino. Outra unidade onde ocorreu a ação foi a UPSL 6, de onde  foram transferidos 585 custodiados, sendo 288 para UPSL3, e 297 para a UPSL 5.

“Também foram remanejados 350 internos da Penitenciária Regional de São Luís para a UPSL 6. São internos com histórico de bom comportamento, cujos perfis se encaixam no cumprimento de pena, hoje, disponível no antigo CDP que, em breve será reestruturado, e também beneficiado com a instalação de uma Portaria Unificada, equipada com escâner corporal, e demais aparelhos tecnológicos já em funcionamento nas demais unidades”, acrescentou o secretário de Estado.

Inserção
Essa é a segunda transferência de presos realizada pela gestão prisional, em menos de um mês. No último dia 9 de maio, foram 591 internos transferidos das UPSL’s 3, 4 e 5 para a Penitenciária Regional de São Luís (PRSLZ), com o objetivo de redivisão de presos primários ociosos para que estes também fossem inseridos nas ações de ressocialização desenvolvidas, atualmente, em todo o sistema prisional do estado, por meio de 103 oficinas de trabalho em pleno funcionamento.

Com a primeira transferência, a gestão prisional buscou ainda um melhor aproveitamento das vagas em desuso na Penitenciária Regional de São Luís, e reduzir a ocupação em algumas unidades de grande fluxo. Uma delas é o Centro de Observação Criminológica e Triagem de São Luís (COCTS) que, por ser a primeira parada obrigatória dos recém-chegados internos no sistema prisional, acaba recebendo o maior volume diário de ingressos dentre as unidades da capital.

Do Blog do Gilberto Lima

0 comentários:

Postar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes