Robert Serejo, assassino de Alanna, segue isolado em Pedrinhas ~ CN1 | O seu Portal de Notícias

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Robert Serejo, assassino de Alanna, segue isolado em Pedrinhas



Os rumores de que o estuprador e assassino da menina de dez anos teria sido encontrado morto em Pedrinhas foram desmentidos pela Polícia.

Terça-Feira, 28 de novembro de 2017

Robert Serejo, de 31 anos, foi apresentado pela Polícia na tarde do dia 4 deste mês, no Quartel Militar

Rumores de que Robert Serejo, assassino da menina Alanna Ludmila, de dez anos, teria sido encontrado morto no Complexo Penitenciário São Luís foram desmentidos pela Polícia. A Delegada do Departamento de Feminicídio, Viviane Azambuja, informou que o criminoso segue isolado em Pedrinhas, e que as informações divulgadas nas redes sociais não passam de boatos.

Já são mais de três semanas desde o crime que chocou o Maranhão. Alanna foi estuprada, morta e enterrada no quintal da casa onde vivia com a mãe e o irmão, no Maiobão, pelo ex-padrasto, Robert Serejo. O homem foi capturado quatro dias após ter cometido o crime, tentando sair da capital. De acordo com a Delegada responsável pelo caso, o inquérito policial deve ser concluído até o fim do mês.

Relembre o caso


Na manhã do dia 1º de novembro, uma quarta-feira, Jaciane Pereira deixou a filha de dez anos, Alanna Ludmila, sozinha em casa para ir à uma entrevista de emprego. De acordo com a mãe, a criança já havia ficado só em outras situações, sempre instruída a nunca abrir a porta para terceiros.

A mulher, que havia se separado do ex-companheiro Robert Serejo há cerca de dois meses, deixou o filho menor, fruto da união com o homem, na casa dos avós paternos do garoto. Deste modo, Robert soube que a menina Alanna estaria sozinha em casa. Ele, então, chamou a criança pela janela, não obteve respostas, pulou o muro do quintal e abriu a porta da cozinha com uma chave que possuía.

Robert Serejo consumou o estupro de Alanna Ludmila, asfixiou a menina e escondeu o corpo no quintal da própria casa onde ela morava com a mãe e o irmão. O assassino ainda chegou a prestar depoimento na noite de quarta-feira, dia 1º, mas foi liberado em seguida. Quando foi procurado para dar novos esclarecimentos, já havia desaparecido.

O corpo de Alanna Ludmila foi encontrado na manhã do dia 3 de novembro, uma sexta-feira. No dia seguinte, ocasião do último adeus à menina, Robert Serejo foi capturado tentando deixar São Luís. O homem, até então principal suspeito de cometer o crime, estava numa van que levava policiais apaisana para uma competição esportiva no interior do estado, e foi encaminhado ao Quartel General da PM, onde confessou ter estuprado, matado e ocultado o cadáver da criança de dez anos.

Com informações O Imparcial 

0 comentários:

Postar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes