Benedito Barrinha Rocha Miranda foi preso em Muaná, no arquipélago do Marajó, acusado de estuprar de uma idosa de 105. A vítima, que é mãe da companheira de Benedito, é a pessoa mais idosa a ser abusada sexualmente em todo o país.

Para cometer o crime, o acusado aproveitada o fato da senhora, sofrer do Mal de Alzheimer (doença neurodegenerativa caracterizada pela perda de memória a curto prazo).

“Ele procurava ficar a sós com a idosa para cometer o delito. O acusado retirava a idosa da rede onde ela permanecia deitada e depois tirava-lhe as vestes para consumar o crime sexual”, explica o delegado Guilherme Gonçalves, titular da Delegacia de Muaná.

A idosa não dispunha de totais funções cognitivas, além de não poder se locomover e ser completamente cega. O crime foi caracterizado como estupro de pessoa vulnerável.

O acusado foi recolhido e está à disposição da Justiça.

(DOL)

http://www.portalcn1.com.br/wp-content/uploads/2018/11/05-13.jpghttp://www.portalcn1.com.br/wp-content/uploads/2018/11/05-13-150x150.jpgPortal de Notícias CN1PolíciaPolíciaBenedito Barrinha Rocha Miranda foi preso em Muaná, no arquipélago do Marajó, acusado de estuprar de uma idosa de 105. A vítima, que é mãe da companheira de Benedito, é a pessoa mais idosa a ser abusada sexualmente em todo o país. Para cometer o crime, o acusado aproveitada o...Portal de Notícias CN1
slp6p5

jku7bl