O homem que deu uma facada em Jair Bolsonaro enquanto o candidato a presidente do PSL fazia campanha em Juiz de Fora (MG) afirmou, na hora em que era conduzido pelos policiais, estar cumprindo uma “ordem de Deus”. As informações foram divulgadas pela revista Piauí, nesta quinta-feira (6/9), em seu endereço eletrônico.

A informação é de Luis Boundens, presidente da Federação dos Agentes da Polícia Federal, a Fenapef. Ele conversou com seus colegas que estavam no local do ataque e não só tiveram de prender Adélio Bispo de Oliveira, de 40 anos, como conter a multidão que tentou linchá-lo após o ataque ao presidenciável. “Os colegas disseram que ele imediatamente começou a dizer que estava em missão divina, o que levou o pessoal a duvidar da integridade psicológica dele”, disse Boudens.

Em sua página no Facebook, Bispo de Oliveira escrevia críticas a Bolsonaro e, com menor frequência, a outros políticos, como a candidata a vice-presidente pelo PSDB, Ana Amélia. A Maçonaria também era assunto de suas publicações: “Deveria serem (sic) todas lojas maçônicas (sic) do país incediadas por completo”. Bispo de Oliveira foi filiado ao PSol de Uberaba (MG), entre maio de 2007 e 2014.

Metrópoles 

http://www.portalcn1.com.br/wp-content/uploads/2018/09/01-6.jpeghttp://www.portalcn1.com.br/wp-content/uploads/2018/09/01-6-150x150.jpegPortal de Notícias CN1PolíticaPolíticaO homem que deu uma facada em Jair Bolsonaro enquanto o candidato a presidente do PSL fazia campanha em Juiz de Fora (MG) afirmou, na hora em que era conduzido pelos policiais, estar cumprindo uma “ordem de Deus”. As informações foram divulgadas pela revista Piauí, nesta quinta-feira (6/9), em...Portal de Notícias CN1
slp6p5

jku7bl