Os valores da gasolina serão elevados a partir desta quarta-feira (11/7) pela Petrobras. O preço do litro sobe de R$ 2,0249 para R$ 2,0369 nas refinarias – este é o maior patamar desde maio, época em que a economia foi afetada pela greve dos caminhoneiros. Desde o início de julho, o reajuste acumulado foi de 4,5%.

O avanço dos valores coincide com a alta das referências internacionais do petróleo e o aumento do dólar ante o real. Ambos os fatores, mercado externo e câmbio, integram o sistema de formação de preços de combustíveis da companhia, em vigor desde o ano passado e que prevê reajustes quase que diariamente.

Diesel
Já o valor do diesel segue congelado a R$ 2,0316 desde o começo do mês, após acordo entre governo e caminhoneiros para acabar com a paralisação da categoria – responsável por causar uma crise de desabastecimento no país. O protesto aconteceu pela disparada no preço do combustível, que chegou a atingir uma máxima de R$ 2,3716 por litro em maio.

A Petrobras reitera há meses que não tem poder de formação de preços dos combustíveis, os quais oscilam ao sabor das condições de mercado. Além disso, destaca, inclusive em propagandas comerciais, que sua cotação responde por cerca de um terço do valor final nos postos.

Thayna Schuquel/Metrópoles

http://www.portalcn1.com.br/wp-content/uploads/2018/07/04-13.jpghttp://www.portalcn1.com.br/wp-content/uploads/2018/07/04-13-150x150.jpgPortal de Notícias CN1PaísGeralOs valores da gasolina serão elevados a partir desta quarta-feira (11/7) pela Petrobras. O preço do litro sobe de R$ 2,0249 para R$ 2,0369 nas refinarias – este é o maior patamar desde maio, época em que a economia foi afetada pela greve dos caminhoneiros. Desde o início de...Portal de Notícias CN1