quinta-feira, 13 de janeiro de 2022

Exclusivo: Delegado descarta homicídio como causa de morte de vigia em Chapadinha-MA

Compartilhar


Por Portal CN1
O delegado Fábio Aragão, titular da 1ª Delegacia de Polícia Civil de Chapadinha, afirmou com exclusividade ao Portal CN1 e ao Programa Alerta Geral da Rádio Cultura FM, que está praticamente descartado o crime de homicídio como causa da morte do vigia da escola municipal Nossa Senhora Aparecida, Agnaldo Souza da Silva, 47 anos, ocorrida no dia 4 de janeiro deste ano, próximo ao túmulo da Finada França, às margens da BR 222, no Bairro Angelim.
Agnaldo Souza da Silva, vítima
De acordo com o delegado Fábio, responsável pelo inquérito, indícios apontaram suicido. Tal constatação foi possível por meio de perícia criminal feita pelo Instituto de Criminalística do Maranhão - Icrim.
Delegado Fábio Aragão
"Eu acionei a pericia criminal e fizemos o acompanhamento, que conforme as investigações tinham indícios de suicídio. A perícia criminal afastou todas as possibilidades de ser homicídio. O tiro foi efetuado na cabeça pela própria vítima, que resvalou e pegou no peito. A perícia constatou o local que resvalou o projétil, que foi coletada pelos peritos. Por isso, foi constado dois disparos. O resultado oficial não saiu, mas informalmente o perito afastou todas as possibilidades de homicídio", disse o delegado.

Arma
A moto da vítima se encontrava no local, mas a arma de Agnaldo Souza tinha desaparecida. O delegado afirma que alguém teria estado no local do crime e subtraído a arma de fogo antes da chegada dos policiais.

"Sobre a arma que a vítima estava de posse, sumiu. Nós trabalhamos com a hipótese de que alguém tenha mexido na cena do crime. Estamos investigando o paradeiro dessa arma, que sumiu, antes da chegada dos policiais", afirmou o delegado Fábio Aragão.








Compartilhar

Author: verified_user

0 comentários: