O governo da Venezuela declarou nesta quarta-feira (6/3) o embaixador da Alemanha, Martin Kriener, “persona non grata” e deu 48 horas para que ele deixe o país. A medida foi tomada após Kriener receber o líder da oposição, Juan Guaidó, no Aeroporto de Maiquetia na segunda-feira (4). A Alemanha é um dos mais de 50 países que reconhecem o presidente da Assembleia Nacional como presidente interino do país.

Em comunicado, o governo diz que a decisão se deve a “recorrentes atos de ingerência nos assuntos internos do país” pelo diplomata, que “em desacato compareceu ao aeroporto internacional de Maiquetía para testemunhar a chegada do deputado Juan Guaidó”.

“A Venezuela considera inaceitável que um representante diplomático estrangeiro exerça em seu território um papel público mais típico de um líder político em clara sintonia com a agenda conspiratória de setores extremistas da oposição venezuelana”, diz ainda a nota.

Também em comunicado, o governo alemão anunciou que consultará aliados europeus para saber como responderá à expulsão do embaixador.

Na segunda-feira, representantes diplomáticos de outros países europeus e latino-americanos receberam Guaidó, que retornou à Venezuela em um voo comercial procedente do Panamá.

Agência Estado

https://www.portalcn1.com.br/wp-content/uploads/2019/03/04-11.jpghttps://www.portalcn1.com.br/wp-content/uploads/2019/03/04-11-150x150.jpgPortal de Notícias CN1InternacionalInternacionaisO governo da Venezuela declarou nesta quarta-feira (6/3) o embaixador da Alemanha, Martin Kriener, “persona non grata” e deu 48 horas para que ele deixe o país. A medida foi tomada após Kriener receber o líder da oposição, Juan Guaidó, no Aeroporto de Maiquetia na segunda-feira (4). A Alemanha...
slp6p5

jku7bl