Bombeiros do Maranhão em Brumadinho. (Foto: Divulgação)

Cerca de 250 bombeiros de vários estados do país, incluindo o Maranhão, trabalham nas buscas por vítimas do desastre de Brumadinho, que completou 12 dias nesta terça-feira (5/2). A operação é coordenada pelos bombeiros de Minas Gerais, que empregam também 22 cães farejadores na missão. Até agora, os bombeiros contabilizam 121 mortos e 226 desaparecidos.

Segundo autoridades locais, após completar uma semana do rompimento da barragem da Vale, a operação de resgate entrou em uma nova fase e não tem data para acabar. Nessa etapa, além da procura manual, alguns modernos equipamentos de “corte” são utilizados para acessar o interior de containers e estruturas de metal encontradas em meio a lama.

Um dia após a tragédia, o governador do Maranhão, Flávio Dino, autorizou o envio de sete bombeiros do Maranhão especializados em ocorrências de grande vulto e buscas e resgates em estruturas colapsadas (BREC).

Desde o domingo, 27 de janeiro, o major Patrício, o major Nilson, o sargento Max, o tenente Nunes, o tenente Elenilton, o soldado M. Serra e o soldado W. Neves passaram a compor a força tarefa de apoio aos bombeiros mineiros e em solidariedade aos familiares das vítimas em Brumadinho.

Ao longo de oito dias de trabalhos intensos, os bombeiros maranhenses descreveram um cenário de destruição, mas repleto de um sentimento de muita solidariedade entre todos que estão na cidade. “A área devastada pela avalanche de lama é muito grande, mas mesmo com o imenso cansaço, estamos trabalhando com o maior empenho, porque a vontade de dar uma resposta aos familiares é maior”, disse o tenente Nunes, bombeiro do Maranhão na missão Brumadinho.

“Aqui a comoção humana prevalece acima de tudo, a gente percebe que independente rendimento financeiro, independente categoria funcional, todo mundo aqui quer ajudar”, declarou o tenente Nunes.

A dificuldade de deslocamento e a cautela no solo instável diminuem a velocidade das buscas, aeronaves e veículos anfíbios estão sendo usados para melhorar a eficiência da procura de corpos. Ao longo da semana, a área do refeitório da Vale, local onde muitas pessoas estavam concentradas, começou a ser escavada.

Mesmo diante de muito trabalho, a humanização dos bombeiros promoveu diversas homenagens às vítimas. A mais marcante delas aconteceu no sétimo dia após o desastre. Diversas aeronaves pairaram no ar e lançaram do alto pétalas de flores, enquanto as pessoas se concentravam diante da bandeira do Brasil. Mesmo de longe, bombeiros interromperam seu trabalho e prestaram continência em tributo às centenas de mortos e desaparecidos.

“Por toda essa semana vimemos um clima muito pesado aqui em Brumadinho, mas temos a consciência de que tudo isso faz parte da nossa missão fim, trabalhamos diuturnamente, mesmo com enorme cansaço estamos empenhados na operação de localização das vítimas, porque sabemos que isso, de alguma forma, irá minimizar a dor dos familiares”, relatou o major Patrício, bombeiro maranhense que integra a missão Brumadinho.

https://www.portalcn1.com.br/wp-content/uploads/2019/02/01-4.jpghttps://www.portalcn1.com.br/wp-content/uploads/2019/02/01-4-150x150.jpgPortal de Notícias CN1MaranhãoMaranhãoCerca de 250 bombeiros de vários estados do país, incluindo o Maranhão, trabalham nas buscas por vítimas do desastre de Brumadinho, que completou 12 dias nesta terça-feira (5/2). A operação é coordenada pelos bombeiros de Minas Gerais, que empregam também 22 cães farejadores na missão. Até agora, os bombeiros...Portal de Notícias CN1
slp6p5

jku7bl