Circulou na manhã desta terça-feira (12/2) uma Fake News sobre a morte do ex-presidente do Brasil José Sarney. O link circulou no WhatsApp e remetia a páginas de conhecidos veículos brasileiros. No entanto, ao clicar nele a pessoa era direcionada para uma outra publicação.

 A divulgação de falsas notícias se torna cada vez mais comum nas redes sociais, tanto que o próprio Facebook precisou alterar as regras de publicação para evitar esse tipo de crime.

Listas falsas
A circulação de notícias falsas atingiu também a tragédia de Brumadinho, em Minas Gerais, onde uma barragem se rompeu e deixou ao menos 165 mortos. A circulação de listas de vítimas e notícias falsas confundiu as famílias que aguardavam informações sobre os atingidos pela tragédia na cidade mineira.

Na legislação brasileira, a pena pela criação de notícias falsas varia de 2 a 4 anos de prisão, além do pagamento de multa. Aqueles que forem contratados para divulgar mentiras podem cumprir de 6 meses a 1 ano de cadeira e também ficam sujeitos à multa.

As informações de Natália Lázaro/Metrópoles

https://www.portalcn1.com.br/wp-content/uploads/2019/02/05-23.jpghttps://www.portalcn1.com.br/wp-content/uploads/2019/02/05-23-150x150.jpgPortal de Notícias CN1PaísPaísCirculou na manhã desta terça-feira (12/2) uma Fake News sobre a morte do ex-presidente do Brasil José Sarney. O link circulou no WhatsApp e remetia a páginas de conhecidos veículos brasileiros. No entanto, ao clicar nele a pessoa era direcionada para uma outra publicação.  A divulgação de falsas notícias se...Portal de Notícias CN1
slp6p5

jku7bl