Procurador de Justiça e Escritor quiteriense Teodoro Neto presenteia Kodó Viana com livro de sua autoria ~ CN1 | O seu Portal de Notícias

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Procurador de Justiça e Escritor quiteriense Teodoro Neto presenteia Kodó Viana com livro de sua autoria


Do  Portal   CN1

Terça-Feira, 21  de novembro de 2017


O procurador de justiça, jornalista e escritor, Teodoro Peres Neto, que é natural de Santa Quitéria, participou na última quinta-feira (16) da inauguração da nova sede  da Promotoria de Justiça, com a presença do prefeito Alberto Rocha e demais autoridades. Leia Aqui

Após a solenidade, o Dr. Teodoro Neto fez questão de presentear o amigo Kodó Viana, secretário Municipal de Comunicação da prefeitura de Santa Quitéria, com um exemplar de um de seus livros  “Panorama de Impressões e o Parquet Maranhense”. 


A obra conta histórias importantes sobre o Ministério Público do Maranhão além de abordar sua atuação no combate à  corrupção. O autor retrata episódios da trajetória de suas atividades funcionais, como promotor e como procurador de justiça.



Biografia Literária


Nascido em Santa Quitéria, atuou como advogado, professor e diretor do Detran-MA antes de ingressar no Ministério Público Estadual, em agosto de 1983. Desde 2004 se tornou Procurador de Justiça, o que conciliou com sua paixão pela literatura e escrita. Seu primeiro livro, "Nos recantos e contemplações de Santa Quitéria", data de 2008 e foi lançado na Câmara Municipal de sua terra mater, prestigiado por uma grande massa de familiares, amigos e conterrâneos. Em seguida, já em 2008, lançou "O namoro da princesa" na Academia Maranhense de Letras, momento em que também recebeu o carinho de diversos dos seus e de leitores conquistados com a primeira obra. "Saudosos Caminhos", a mais recente obra, data de 2013 e seu lançamento ocorreu no Solar Sinhá Pedrosa, também em sua terra natal. 

Suas obras advém de uma vida baqueana e viagens pelo país, em especial o estado do Maranhão. Seu caprichoso ziguezague e vivência pelas ardências das simples cidades maranhenses foram suas maiores fontes de inspiração, com destaque para os encantadores Lençóis Maranhenses e Parque Estadual Marinho do Parcel de Manuel Luís. 

Fatigou-se na extensão da Baixada Maranhense e molhou as mãos nos rios Uru, Paquetá, Pau de Remo e Pericumã. Vivenciou o estremecimento do medo das ásperas penedias de Riachão. Colheu mangaba e juçara na região do Munim e oscilou sobre as águas grandes do Parnaíba e do Itapecuru. Passou parte de sua juventude à beira da Fonte do Ribeirão e correu pelas paragens da Praia do Amor, em Tutóia, cujo nome doce ressoa como poesia nos lábios dos caboclos. Na infância em Santa Quitéria, emergia do verde negro de montanhas copadas a casarios brancos, como algodoal em explosão de casulos. Destarte, percebe-se que sua obra enaltece toda essa experiência, contudo sempre sem esquecer de saudar a graciosa Santa Quitéria, encravada no Baixo Parnaíba.














0 comentários:

Postar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes